Boa noite,
Estava em busca de conhecimentos sobre um problema que apresentei na coluna que já era operada. A cerca de 3 anos operei a lombar L4 e L5,uma hérnia a esquerda, já nem andava direito.Operei então, fiz uma laminectomia descompressiva e uma discetomia na mesma,podendo mesmo depois disso carregar apenas 5 kilos, orientação do neuro.Ele disse ter preferido deixar-me com uma artrose mais tarde do que colocar uma prótese.No dia 13 deste mês sofri um acidente Batendo com muita força o lado direito no caput do onibus e com isso, passei a ter dores horriveis na coluna cervical e na lombar de novo, em cada movimento doia demais.Fiz um RX e o resultado foi:
COLUNA CERVICAL AP/PERFIL/OBLIQUAS
DISCRETO OSTEÓFITOS MARGINAIS.
REDUÇÃO DA AMPLITUDE DOS FORAMÊS NEURAIS À DIREITA DE C5 À C7.
CORPOS VERTEBRAIS COM ALTURA PRESERVADA.
UNCOARTROSE INCIPIENTE ENTRE C5-C6.
RETIFICAÇÃO DA LORDOSE ANATÔMICA.

E DA COLUNA LOMBAR QUE JÁ ERA OPERADA FOI FEITO RX COLUNA LOMBO SACRA C/ OBLIQUAS ,COM O SEGUINTE RESULTADO:
REDUÇÃO DOS ESPAÇOS DISCAIS DE L4 Á S1.
ARTROSES INTERAPOFISÁRIA DE L4 Á S1 BILATERALMENTE.
DESVIO ESCOLIÓTICO DE CONVEXIDADE PARA ESQUERDA.
CORPOS VERTEBRAIS COM ALTURA PRESEVADA.

Dr. Felipe Feichas, gostaria que o senhor me descrevesse a real situação deste diagnóstico, pois como é a EMPRESA DE ONIBUS, que esta arcando com as despesas, fico desconfiada que o médico, diga que esta tudo bem, (Sendo eu uma pessoa leiga no assunto)e mais tarde tendo um problema maior e a EMPRESA alegar que cumpriu a sua obrigação,sem nada mais me dever…

Amanhã dia 24 de julho estarei indo ao MÉDICO para saber o que ele irá dizer.Conto co m a sua ajuda para este esclarecimento.
Desde já lhe agradeço de coração.
Não sei se será enviado email para meu correio ou se a resposta virá atráves deste site.
Fico no aguardo, e esteja com Deus.

Atenciosamente,

Elisabeth

Caso Clínico

21 ideias sobre “Caso Clínico

  • 24 de julho de 2009 em 04:15
    Permalink

    Olá Elisabeth,

    Inicialmente gostaria de agradecer-lhe pelo contato, espero que eu e outros colegas possamos ajudá-la. Seguindo os princípios da Osteopatia, técnica a qual mais utilizo,lendo alguns pontos que me relatou, creio que este quadro que apresenta exista uma forte influência da região do sacro, pois é a base de funcionamento da coluna lombar. Isso significa que, quando o sacro não está funcionando corretamente, não tem como a lombar funcionar de maneira adequada, sobretudo L4-L5, devido a influência do ligamento iliolombar nesta região. Lesões muito comuns na região do sacro são as torções e na osteopatia sabemos que crânio e sacro não se separam, devido a ligação existente através de uma das meninges que possuímos chamada dura-máter. Sendo assim, tudo que ocorre em seu sacro também ocorrerá no crânio. Se você apresenta uma torção do sacro, frequentemente apresentará uma torção da esfenobasilar (no crânio) devido a tensão gerada na dura-máter a nível de S2(sacro)gerando esta mesma tensão a nível craniano, podendo apresentar sintomas como dores de cabeça frequentes, náuseas, tonturas, visão turva, zumbido no ouvido,perda de consciência abrupta, déficit de memória (alguns pacientes relatam), entre outros. Vejamos um exemplo simples que demonstra a relação entre as duas estruturas: Se olharmos para a direita fazendo uma rotação cervical, nosso sacro também fará essa rotação para a direita. Existe uma lei chamada Lei de Lovett Brother, conhecida também como lei das vértebas gêmeas, portanto, a mesma relação existente entre crânio e sacro ocorrerá entre as vértebras onde teremos C1 se relacionando com L5, C2-L4, C3-L3 e assim suscessivamente. Isso nos mostra que quando um paciente apresenta uma desordem lombar, muitas vezes também apresenta uma alteração cervical ou uma lesão em um certo período da vida, caso não seja corrigido, fato que acontece com você. Nosso corpo sempre trabalha em compensação, portanto é comum em casos de cirurgia de coluna, o corpo compensar depois de um certo tempo em outro local. Tenho dois pacientes que realizaram a mesma cirurgia citada por você, porém sem sucesso, devido uma hérnia discal lombar e depois de 1 ano
    desenvolveram sintomas na cervical,apresentando degenerações discais. Essas alterações vão além disso, existe também o sistema visceral que influencia diretamente estas vértebras, podendo a cervical apresentar influências diretas de pulmão e sistema gastrintestinal, tudo isso devido a relações fasciais existentes e inervações, o mesmo ocorrendo na lombar, a qual se relacionará com intestino por exemplo. Quando avaliamos, é muito importante colhermos toda história do paciente, desde fatos ocorridos lá atrás e que podem estar se desenvolvendo hoje. Você começou a apresentar estes sintomas somente após o acidente ou já os apresentava? Apresenta formigamento, dormência, queimação nos braços e pernas? Relate mais sobre o seu caso. Espero ter entendido a explicação que dei, tentei ser o mais claro possível. Seu caso clínico é bastante interessante.

    Aguardo o seu contato,

    Dr. Felipe Feichas

  • 10 de agosto de 2009 em 13:12
    Permalink

    Oi Dr. Felipe Feichas, sou estudante de fisioterapia e achei muito interessante sua resposta sobre este caso, estou pensando em fazer meu TCC no assunto, em que livros posso encontrar?

  • 13 de agosto de 2009 em 01:29
    Permalink

    Olá Mariane,

    Segue abaixo uma lista de livros interessantes sobre osteopatia. Espero que te ajude.

    ATLAS DE TECNICAS ARTICULARES OSTEOPATICAS TOMO 2: PELVIS Y CHARNELA
    Tixa S.

    TRATAMIENTO OSTEOPÁTICO DE LAS ALGIAS LUMBOPELVICAS
    Ricard

    TRATADO DE OSTEOPATIA CRANEAL, ARTICULACION TEMPOROMANDIBULAR
    Ricard

    OSTEOPATÍA Y PEDIATRÍA
    Ricard

    TERAPIA CRANEOSACRA II
    Upledger John

    TERAPIA CRANEOSACRA I.
    Upledger

    ATLAS DE TECNICAS ARTICULARES OSTEOPATICAS DE LAS EXTREMIDADES
    Tixa, S.

    MANIPULATIONS DES NERFS PERIPHERIQUES
    Barral J.

    MANIPULATIONS VISCERALES, T-2
    Barral J.

    MANIPULATIONS VISCÉRALES : TOME 1
    Barral J.

    BASES FISIOLÓGICAS DE LA OSTEOPATÍA
    Korr I.

    TRATAMIENTO OSTEOPATICO LUMBALGIAS Y LUMBOCIATICAS HERNIAS DISCALES
    Ricard

    TRATADO DE OSTEOPATÍA
    Ricard F.

    LA OSTEOPATIA CRANEAL
    Busquet

    L TRAUMA: AN OSTEOPATHIC APPROACH
    Barral

    TU MEDICO INTERNO Y TU: TERAPIA SACROCRANEAL Y LIB
    Upledger J.E.

    BASES PHYSIOLOGIQUES DE L’OSTEOPATHIE
    Korr I. M.

    MANIPULATIONS VISCERALES 2
    Barral J.

    UROGENITAL MANIPULATION
    Still

    OSTEOPATHIE DIAGNOSTIC ARTICULAIRE VERTEBRAL
    Barral J.P.

    PRINCIPES DE LA TECHNIQUE OSTEOPATHIQUE
    Fryette H. H.

    LESIONS OSTEOPATHIQUES DE L’ARTICUL. TEMPORO-MANDI
    Ricard F.

    THE CRANIAL BOWL
    Sutherland

    TECNICAS OSTEOPATICAS VISCERAIS
    Queff Bernard

  • 25 de outubro de 2009 em 14:37
    Permalink

    Oi Elisabeth,Sou Fisioterapeuta e trabalho especificamente em tratamentos de coluna,sou especialista e terapia Manual Osteopática.
    Bom pelos resultados apresentados nos seus exames,é claro que não sei a sua idade e não te avaliei,você está desenvolvendo uma patologia degenerativa na coluna cervical e lombar.Pelos resultados apresentados no laudo da cervical,você possui osteófitos e uncartrose C5-C6,o que nos mostra que o disco intervertebral está desidratado, com isso ocorre um estreitamento dos espaços articulares provocando a Uncoartrose comprimindo as raízes nervosas e favorecendo ao desgaste articular.A retificação cervical também favorece a um aumento da pressão discal e provavelmente você tem uma retificação da coluna lombar também.A escoliose indica que você pode ter algum problema de alinhamento dos ilíacos e consequentemente do sacro,alterando o centro de gravidade provocando o desvio lateral da coluna,que também levanta a hipótese de uma diferença no comprimento das pernas.A escoliose estrutural segue a 1a lei de Fryete,onde as vétebras inclinam lateralmente e rodam para o lado oposto.A escoliose em graus moderados(de 10 a 20 graus),principalmente em S e com curvatura primária na lombar, predispôem o seu portador ‘a lesões discais e degenerativas no futuro.Bom ,considerando as informações do Dr.Felipe,onde colocou bem sobre as relações do crânio e o sacro,creio que o mais importante é você procurar um tratamento especializado,onde acho que as técnicas manipulativas devem ser utilizadas com cautela e o principal é tratar as áreas lesionadas com técnicas de tração,liberação miofascial ,equilibrar a pelve,alongar e fortalecer grupos musculares específicos para promover a estabilização vertebral e minimizar os sintomas.
    Tenho um site na internet :www.fisioterapiafisioplus.com.br

    Qualquer coisa estou ‘a disposição;

    Dr.Cleoton Sarmento Lima
    Montes Claros-MG

  • 22 de novembro de 2009 em 14:49
    Permalink

    Olá Dr. Cleoton,

    Muito interessante suas colocações. Conto com a sua visita e participação no blog para discutirmos sobre mais casos clínicos.

    Obrigado,

    Dr. Felipe Feichas

  • 28 de junho de 2010 em 22:54
    Permalink

    oi Dr. Felipe,meu RX acusou diminuição no espaço L5-SI, e o médico me deu o diagnóstico de disco desidratado, qdo perguntei pra ele se tem como corrigir isso, ele disse que não, e me passou fisioterapia e remédio pra tirar a dor e só, sai de lá e estou quase louca, isso não tem tratamento mesmo?

    desde de já obrigado

  • 15 de março de 2011 em 00:43
    Permalink

    Oi antes de fazer a cirurgia era piloto de avião comercial tinha travamento da coluna,começou 1 vez por semana depois foi amentando,fiz todo tipo de tratamento mais não adiantou.Em 2006 com 40 anos fiz a minha primeira cirurgia diag.portador de discopatia degenerativa lombar n.L3-L4 e L4-L5.A tecnica cirurgica foi estabilização dinamica trans-pedicular nestes niveis em 2006.Depois da cirurgia ganhei uma dor que eu não tinha uma pressão na lombar,uma dor diaria .Voltei no mesmo medico e ele mandou fazer terapia, mais não adiantou,pois a mesma dor me acompanha e me reduzil minha mobilidade e piorando mais minha qualidade de vida.Então resolvi retirar tudo que foi colocado e fiz a 2 operação em 2009 de retirada achando que ia melhorar, mais nada adiantou em relação a dor e a pressão na lombar e noites mal dormidas por não achar uma posição.Em relação a meus movimentos melhorou muito,pois agora consigo nadar todo dia.Meu diagnostico agora e antes ARTROSE INTERAPOFISÁRIA DE L3 a S1,sendo hipertrófica em L5-S1.Alterações degenerativa nos platôs apostos de L4-L5.Desidratação,redução d altura e abaulamento difuso dos discos de L3-4 a L5-S1, tocando a face ventral do saco dural e reduzindo a amplitude das regiões inferiores.Resumindo claramente não tinha antes da 1 cirurgia artrose e essa dor que me incomoda quando levanto e sento, ou fico muito tempo sentado ou andando. Hoje com hipertrófica

  • 15 de março de 2011 em 00:51
    Permalink

    Oi antes de fazer a cirurgia era piloto de avião comercial tinha travamento da coluna,começou 1 vez por semana depois foi amentando,fiz todo tipo de tratamento mais não adiantou.Em 2006 com 40 anos fiz a minha primeira cirurgia diag.portador de discopatia degenerativa lombar n.L3-L4 e L4-L5.A tecnica cirurgica foi estabilização dinamica trans-pedicular nestes niveis em 2006.Depois da cirurgia ganhei uma dor que eu não tinha uma pressão na lombar,uma dor diaria .Voltei no mesmo medico e ele mandou fazer terapia, mais não adiantou,pois a mesma dor me acompanha e me reduzil minha mobilidade e piorando mais minha qualidade de vida.Então resolvi retirar tudo que foi colocado e fiz a 2 operação em 2009 de retirada achando que ia melhorar, mais nada adiantou em relação a dor e a pressão na lombar e noites mal dormidas por não achar uma posição.Em relação a meus movimentos melhorou muito,pois agora consigo nadar todo dia.Meu diagnostico agora e antes ARTROSE INTERAPOFISÁRIA DE L3 a S1,sendo hipertrófica em L5-S1.Alterações degenerativa nos platôs apostos de L4-L5.Desidratação,redução d altura e abaulamento difuso dos discos de L3-4 a L5-S1, tocando a face ventral do saco dural e reduzindo a amplitude das regiões inferiores.Resumindo claramente não tinha antes da 1 cirurgia artrose e essa dor que me incomoda quando levanto e sento, ou fico muito tempo sentado ou andando. Hoje essa dor me incomoda e não consigo mais conviver e preciso de ajuda para saber o que fazer para melhorar.

  • 9 de abril de 2011 em 22:08
    Permalink

    Isso é normal, pois com o avanço da idade os discos realmente vão se desidratando, diminuindo assim a sua altura e portanto gerando os problemas que estamos acostumados a ver como artrose por exemplo. Normalmente ocorre após os 40 anos de idade. Não precisa se preocupar, a senhora pode ter um exame por imagem muito ruim e ter uma vida normal, sem ter nenhum sintoma. Por outro lado, uma pessoa jovem pode ter um exame por imagem sem nenhuma alteração significativa e ter vários sintomas. O mais importante é o exame clínico que nós da Osteopatia e terapeutas manuais fazemos, através de movimentos (ativos, passivos) e testes acessórios para ver se realmente o paciente tem algo que o incomode. Se tiver sintomas, trate e tenha uma vida saudável.

    Abraços,

    Felipe Feichas

  • 2 de maio de 2011 em 21:47
    Permalink

    Olá Dr. Felipe,
    Há um ano e meio senti os dedos anelar e mínimo dormentes . Precurei um ortopedista e o laudo de uma eletromiografia foi neuropatia ulnar. Em novembro do ano passado comecei a sentir muita dor na região cervical e a ficar tonta . Fiz uma ressonância e o resultado foi : Discopatia degenerativa com pronunciado abaulamento disco-osteofitário assimétrico, mais proeminente à esquerda no nível c5-c6 com repercussão na medula e no respectivo neurofame. Resultado RX : Redução espaço discal c5/c6 , osteófito exuberante em c6 e inversão da lordose cervical fisiológica. Tenho sentido tb muita dor maxilar, como se minha boca estive travada, dores no pescoço , irradiando para os braços. Sinto tb dor na lombar, joelho e fisgadas nos pés. Tenho apenas 28 anos e já fui em diversos médicos e fisioteraupeutas mas não há consenso sobre o melhor tratamento, o que tem me deixado muito preocupada. Já escutei que devo fazer desde de musculação a repouso e possível operação . Há tratamento para esse diagnóstico ou apenas medidas paliativas que evitem as dores ? Os sintomas têm piorado. Moro em Juiz de Fora – MG, há algum bom médico , fisioterapeuta que vc possa indicar. Desde já, agradeço a atenção.
    Bianca

  • 6 de outubro de 2012 em 10:12
    Permalink

    OLÁ DR FELIPE, DESDE 2008 VENHO SENTINDO DORES NA REGIÃO LOMBAR E NAS COSTAS. SOU VENDEDORA, TRABALHO EM PÉ MAIS OU MENOS DE 8 A 10 HORAS POR DIA. SINTO TAMBÉM DOR NAS PERNAS E MUITA CAIMBRA NAS PERNAS. DIA 01/08/2012 SENTI UMA DOR MUITO FORTE ENQUANTO TRABALHAVA,NA REGIÃO LOMBAR,FUI PARA O HOSPITAL ,FIZ A CONSULTA COM UM ORTOPEDISTA Q ME PEDIU UMA TOMOGRAFIA . FIZ E LEVEI O RESULTADO PR ELE, ELE PEDIU PARA FAZER 10 SESSÕES DE FISIOTERAPIA ,FIZ ÁS DEZ SESSÕES E LEVEI O RESULTADO PR ELE. ELE ME ENCAMINHOU PR UM NEUROCIRURGIÃO, CONSULTEI COM O NEURO , ELE ME PEDIU UMA RESSONÂNCIA EU FIZ VOU TE PASSAR O RESULTADO:PEQUENA HIPERTROFIA DAS FACETAS ARTICULARES INTERAPOFISÁRIAS DE L4, L5 E L5-S1
    DISCRETAS PROTRUSÕES DISCAIS POSTERIORES EM L4, L5, E L5-S1, QUE DETERMINA MINIMAS INSINUAÇÕES NA FACE ANTERIOR DO SACO DURAL.
    IMPRESSÃO: DISCRETAS PROTRUSÕES DISCAIS POSTERIORES EM L4-L5 E L5-S1 COM
    PEQUENAS INSINUAÇÕES NA FACE ANTERIOR DO SACO DURAL.
    ARTROSE INTERAPOFISÁRIA LOMBAR INFERIOR. DR FELIPE ESPERO A SUA RESPOSTA ANCIOSA, POIS VOU LEVAR O RESULTADO PR O MEDICO SÓ DIA 17/10/2012, DESDE DE JÁ AGRADEÇO . OBRIGADO!
    ,

  • 5 de fevereiro de 2013 em 16:40
    Permalink

    Boa tarde!
    Fiz um RX da coluna e o resultado foi Eixo lateral lombar sinuoso
    Corpos vertebrais com altura preservada e osteófitos marginais de L3 à L5
    Discreta redução do espaço discal de L4-L5 e L5-S1
    Pedículos integros.
    Gostaria de saber o que quer dizer isso.
    tenho 44 anos
    Obrigada!

  • 19 de fevereiro de 2013 em 17:07
    Permalink

    Olá Bianca. Sou fisioterapeuta especializando em Osteopatia e achei teu caso muito interessante. Farei minhas considerações e espero ajuda-la com o seu problema. Vendo teu relato parece-me que este é um caso crônico (+ de 6 meses) que foi piorando com o passar do tempo. Os exames de imagem demonstram que a coluna cervical baixa apresenta uma sobrecarga evidenciado pelo processo osteofitario e desidratação discal. Além disso apostaria que voce apresenta “tensões” musculares exageradas nos ombros, pescoço/nuca e até mesmo musculatura mastigatória. Como explicado em respostas anteriores, pela lei Lovett-Brothers as vértebras irmãs apresentam um comportamento semelhante, isto é, as tuas vértebras lombares estão “copiando” as vértebras cervicais, daí o aparecimento posterior do quadro de dor lombar e nas pernas. Aconselho-a buscar um profissional com especialização em Osteopatia que além de recolher as outras informações necessárias, fará um exame físico completo capaz de formular um diagnóstico melhor e assim um tratamento mais eficaz do que esses que voce tem em mãos hoje.

  • 2 de abril de 2013 em 21:13
    Permalink

    Ola Dr. Felipe, meu marido (Lacyr) esta apresentando uma dor no calcanhar a quase 1 ano, já fez umas 60 e poucas fisioterapias, mas a dor continua, fez 4 ecos que acusa 2,6 inflamação. a 2° 0,2 a 3° 3,2 e a quarta, 0,4 mm (faceite do plantar) estou muito preocupada, pois ele não quer consultar outro especialista. o que o sr. teria para me dize? fico muito agradecida

  • 1 de maio de 2013 em 20:02
    Permalink

    BOA NOITE. SOFRI UM ACIDENTE DE CARRO NO HÁ 8 ANOS NO QUAL COLOQUEI OS PES NO PAINEL PARA ME DEFENDER, E MACHUQUEI A COLUNA. HÁ 8 ANOS SINTO DORES, SENDO QUE DESDE 2012 ATÉ AGORA ESTAO MUITO FORTES. MINHA RESSONANCIA ACUSOU “LOMBARIZAÇÃO PARCIAL DE S1; NODULO DE SCHMORL NOS CORPOS VERTEBRAIS LOMBARES; PEDICULOS INTEGROS; DESIDRATACAO DEGENERATIVA PARCIAL DO DISCO L5-S1, ESTE DISCO APRESENTA DISCRETA PROTUSAO MEDIANA DE BASE LARGA CONTACTANDO SUAVEMENTE O SACO DURAL. DEMAIS DISCOS INTERVETEBRAIS SEM SINAIS DE HERNIAÇÕES OU PROTUSOES POSTERIORES. FORAMES DE CONJUGACAO LIVRES. ESPAÇO LIQUORICO PRESERVADO. CONE MEDULAR DE TOPOGRAFIA MORFOLOGICA E INTENSIDADE DE SINAIS NORMAIS.” JÁ NA RADIOGRAFIA LOMBAR DEU: “MEGAPOSIFES TRANSVERSAS EM L5 A ESQUERDA ARTICULADA AO SACRO; REDUCAO DO ESPACO l5-s1; ARTROSE INTERAPOFISARIA LOMBAR INFERIOR. SACRO E ARTICULACOES SACRO-ILIACAS DE ASPECTO NORMAL; NAO FORAM OBSERVADAS MODIFICACOES AS MANOBRAS DE FLEXAO E EXTENSAO” GOSTARIA DE UMA AJUDA, FIZ ESSES EXAMES EM AGOSTO/12 ESTOU FAZENDO FISIOTERAPIA, MAS NAO SINTO MUITA MELHORA. E FIZ 2 SESSOES DE RPG QUE SAI QUEBRADO. E FUI INDICADO A NAO FAZER NESTE MOMENTO. FUI EM 2 MÉDICOS UM NEURO E UM TRAUMATOLOGISTA E DISSE QUE AGORA NAO EXISTE A NECESSIDADE DE OPERAR, POIS TENHO QUE TENTAR OS TRATAMENTOS DE FISIOTERAPIA. GOSTARIA DE UMA OPINIAO. ATT TIAGO

  • 1 de maio de 2013 em 20:03
    Permalink

    TENHO 30 ANOS. TIAGO

  • 14 de outubro de 2014 em 11:30
    Permalink

    Bom dia Dr. Felipe Feichas.
    Em 2010 fiz uma cirurgia na coluna lombar, para sanar uma fratura por má formação óssea, que sentia muita dor. Coloquei 4 parafusos para colar a vértebra e em 2011 retirei os mesmos.
    Minha dor depois das 2 cirurgias melhorou muito, mais de uns meses para cá piorou um pouco, eu sinto dor quando fico muito tempo em ´pé,quando carrego peso,e com movimentos repetitivos.
    Fui no meu medico e ele me pediu uma tomografia, mais estou preocupada o o resultado do exame.
    Segue abaixo o laudo, se conseguir ao menos me dar uma pincelada sobre esse resultado ate que eu possa ir nele, ficarei mais tranquila.

    Dados técnicos:
    Realizada aquisição em tomógrafo de múltiplos detectores, interessando os espaços compreendidos entre
    L3 e S1, sem a infusão endovenosa do meio de contraste.

    Aspectos Observados:
    Corpos vertebrais com forma e altura usuais. Elementos posteriores íntegros.
    Notam-se trajetos hipoatenuantes em situação transpedicular em L4 e S1, relacionados a procedimento
    cirúrgico prévio.
    Sinais de fusão nas articulações interapofisárias de L4-L5.
    Alterações degenerativas das articulações interapofisárias de L5-S1, caracterizando-se redução do espaço
    articular, esclerose subcondral e sinal do vácuo intra-articular.
    Discreto abaulamento discal posterior difuso em L5-S1, exercendo leve impressão sobre a gordura
    epidural anterior.
    Demais discos intervertebrais estudados sem herniações ou abaulamentos significativos.
    Forames de conjugação livres e com dimensões preservadas.
    O canal vertebral ósseo tem dimensões preservadas por toda a extensão estudada.

    Impressão:
    Alterações pós-cirúrgicas em L4 e S1.
    Fusão nas articulações interapofisárias de L4-L5.
    Artrose interapofisária em L5-S1.
    Discreto abaulamento discal posterior difuso em L5-S1, exercendo leve impressão sobre a gordura
    epidural anterior.

    Desde já agradeço. obrigada.

  • 23 de junho de 2015 em 11:50
    Permalink

    Bom dia,fiz um RX da coluna cervical e joelhos. O da coluna deu retificação do lordose cervical, uncoartrose e redução na altura C5/C6,e nos joelhos osteofito em patela. Meu médico me disse que estou com artrose e disse pra eu continuar tomando posso e o resindronato pois tenho osteoporose e me receitou musculare e fazer 10 sessões de fisioterapia. Mas continuo sentido dores,o que fazer.

  • 29 de agosto de 2015 em 10:34
    Permalink

    Bom dia Dr fiz rx da coluna: lombosssacra e análise está me preocupando, fui aprovado em um concurso para professor, e te nho medo que esse resultado me atrapalha. Por favor me ajude com sua atenção. Análise do exame:Corpos vertebrais de altura preservada, apresentando osteofitos marginais. Pediculates íntegros. Articulações interapofisarias sem alteraçao. Redução do espaço discal de L5-S1 CONCLUSAO: Redução do espaço discal de L5-S1. Esse laudo Dr. Pode me impedir de tomar posse ?

  • 8 de fevereiro de 2016 em 10:54
    Permalink

    Olá fiz raio X e meu exae deu que tenho desvio escoliotico lombar para a esquerda
    Corpos vertebrais e espaço discais com altura preservada. Me passou fisioterapia não me ajudou em nada e sinto dores absurdas de manhã e noite que dificulta minha respiração sinto dor de puxar o ar pró pulmão por que a curvatura era o
    Pequena ele não passou mais nada a passou um remédio que e não tira a minha dor não sei mais oque fazer eu sinto que minha colina não ta normal não durmo.direito não consigo fazer as atividades da minha casa como lavar roupa limpar casa etc…

  • 30 de abril de 2016 em 16:02
    Permalink

    Olá,

    Os exames são complementares e não definitivos, há uma necessidade de consultar um profissional qualificado para isso, infelizmente não tem como traçarmos diagnóstico e prognóstico à distância. O que posso adiantar é que muitas vezes os exames são relativos e não coincidem com a queixa do paciente. Por exemplo, o paciente pode chegar com uma ressonância indicando uma hérnia de disco extrusa, porém, os sinais CLÍNICOS me indicam que os sintomas são musculares, ligamentares, viscerais ou articulares, e neste caso, os sintomas não seriam do disco. Embora o exame tenha constatado a lesão, naquele momento, não há qualquer manifestação de dor que me indique uma origem discal!

    A conclusão que tiramos disso é que devemos nos atentar para as características dos sintomas que são colhidos durante a avaliação subjetiva e física do paciente, os exames por imagem vão COMPLEMENTAR um possível diagnóstico clínico. Não há como responder baseado somente em laudos de exame por imagens.

    Abraços,

    Dr. Felipe Feichas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: